Fenapro

Banner
IV Congresso Brasileiro de Publicidade PDF Imprimir E-mail

Vídeo: Leitura da Tese final da comissão "A Realidade dos Mercados Regionais"

Caso não possua o plugin, clique abaixo:
Macromedia Flash

Caso não possua o plugin, clique abaixo:

RECOMENDAÇÕES:

Comissão temática “A REALIDADE DOS MERCADOS REGIONAIS” 

Presidente: Ricardo Nabhan
Relator: Saint’Clair de Vasconcelos
Secretário: Gláucio Binder
Palestrante: George Vidor
Debatedores: Ricardo Esturaro, Antonio Ricardo A. Ferreira, Deputado Federal Claudio Vignatti, Izael Sinem.

Tese:

  1. Promover o desenvolvimento, o crescimento e a valorização regional da indústria da comunicação em todo o Brasil.
  1. Aproveitar as oportunidades que cada região do país oferece para acelerar o desenvolvimento do mercado publicitário regional.
  1. Promover o estímulo, a profissionalização e a organização desses mercados.
  1. Ampliar a presença efetiva das entidades representativas do setor em todos os estados do País.
  1. Defesa de critérios técnicos e éticos na distribuição das verbas públicas e  na contratação das agências de propaganda.
  1. Incentivar os anunciantes a otimizar suas verbas de comunicação em todos os mercados, utilizando os serviços regionais que valorizam a linguagem regionais.

Recomendações da Tese:
A Comissão temática "A REALIDADE DOS MERCADOS REGIONAIS" recomenda que:

1 – O projeto de lei número 3305/2008 determine que os editais de licitações públicas incluam a exigência das agências participantes terem acordos operacionais com agências regionais.


2 –Os editais de concorrência pública na modalidade melhor técnica e preço tenham no item capacidade técnica estrutura de atendimento regional com pontuações específicas.

3 – Os anunciantes da iniciativa privada contratem fornecedores de serviços de comunicação e agências de propaganda com sede nos mercados regionais em que atuam.

4 – As empresas que se instalarem através de  projetos de incentivos fiscais em outros estados ou região fora da sua sede, contratem fornecedores de serviços de comunicação  e agencias nestes mercados regionais.

5 – O “Trade Regional” composto pela cadeia de fornecedores, agências e veículos invista na sua maior profissionalização,  bem como no aprimoramento dos seus serviços garantindo assim a segurança de retorno dos investimentos dos anunciantes.

6 - Os jornais e revistas regionais se filiem a entidades como o IVC, garantindo transparência e segurança nas informações técnicas disponibilizadas ao mercado.

7 – Sejam aprimorados os mecanismos de controle, auditagem e checking nos meios rádios, televisão, cinema e mídia on line nos mercados regionais.

8 – Os Sindicatos de agencias de propaganda, capítulos da ABAP e outras entidades que congregam a indústria da comunicação se unam  para comprar informações de pesquisa de mídia regionais em benefício do mercado local.

9 - As agências, os veículos e os diversos prestadores de serviço ampliem os investimentos em treinamento e aprimoramento de seus profissionais, visando incentivar e valorizar os talentos regionais.

10 – Os Tribunais de Contas fiscalizem com rigor os Municípios, Câmaras Municipais, Assembléias Legislativas, governos e outros órgãos públicos visando o cumprimento da  Lei de Licitações, não aprovando as contratações de  serviços de propaganda  sem a devida licitação.

11 – Os Tribunais de Contas  não aprovem a realização de pregões para contratar os serviços de agência de propaganda.

12 – Os Anunciantes passem a contratar agências de propaganda com base no Guia de Boas Praticas elaborado pela ABA e FENAPRO.

13- O “Trade do setor” estude as necessidades conjuntas entre agência, anunciante e fornecedores, visando o aprimoramento dos mercados regionais.

14 - O CENP instale capítulos regionais ou estabeleça acordos com os Sindicatos de agencias de propaganda nos estados, capítulos da ABAP, veículos regionais de comunicação e entidades regionais de anunciantes, visando fiscalizar e fortalecer os mercados regionais.

15 – As Universidades e Faculdades de comunicação incluam em sua grade curricular o estudo sobre a Legislação da atividade publicitária.

16 - A assinatura de convênios entre as Universidades e Faculdades de Comunicação com as entidades do setor visando incentivar  o estágio dos alunos nas empresas prestadoras de serviços de comunicação.

17 - Sejam realizados esforços no sentido de diminuir a carga tributária que penaliza o setor.

18 – A ABA - Associação Brasileira de Anunciantes, a FENAPRO e outras entidades do setor, realizem um amplo seminário nacional para discutir a regionalização da atividade publicitária nos clientes privados que operam em mercados regionais.

19 – Os litígios decorrentes do relacionamento comercial entre anunciantes, agências, produtores de serviços especializados, profissionais de comunicação, atores e outros profissionais sejam dirimidos através da câmara nacional de arbitragem na comunicação.

20 – Os sindicatos estaduais e outras entidades do setor encaminhem nomes de parlamentares federais de sua relação para compor a frente parlamentar de comunicação criada no VI Congresso. 

21 – As entidades do setor em conjunto desenvolvam campanhas publicitárias  para incrementar a captação de novos anunciantes, bem como para apresentar as oportunidades regionais,  como fator de desenvolvimento.

 

 

 
Você está aqui: Home